Aphros Ten: Vibração e Frescura Fulgurante

Vinho branco Aphros Ten 2019

 

Se alguém quiser conhecer e comprovar a reconhecida fragância do Loureiro, este Aphros Ten, 100% Loureiro, entrará no baú da memória como referencial duradouro. É verdadeiramente cativante. Quase impossível resistir às entusiasmantes sugestões de casca de lima, toranja, citronela, madressilva e flor de laranjeira. Frescura sibilina, acutilante, com fundo muito subtil de ligeiro vegetal, impressão mais “verde”, mais grave, fechado e um tanto dramático. Como se fosse travagem, ainda que ligeira, do feitiço introdutório. Parte da razão desse vegetal está no nome, Ten, relativo aos 10% de teor alcoólico, e na maceração pelicular.

Na boca é de uma leveza assustadoramente deliciosa, mas possui estrutura vigorosa, de forte ímpeto de frescura, de inclemente acidez, quase 9 gr/l, ligado ao amarguinho da maceração pelicular. Mas nada neste vinho é deixado ao acaso. Com esta arquitetura, na boca haveria mais caretas que sorrisos. Assim, um par de meses nas borras finas para “engordar” o vinho, e 8,5 gr de açúcar residual concedem suporte, o fundamental amparo para brilhar a referida vivacidade. Nem nos apercebemos que tem essa quantidade de açúcar residual, que por seu turno também dá mãozinha “marota” no poder de atração do vinho. Lembra, com as devidas diferenças, uma afinação à la Mosel! Verdadeiro encantador de palatos! Ah! Já referi a fluente e cristalina sugestão mineral. Pois, também lá está!

A intensidade e exuberância aromática são ponto relevante na conjugação com a gastronomia. Tal como são determinantes a leveza e a frescura ácida. Iguarias de sabor fresco, de pouco corpo, elementos perfumados, como ervas aromáticas (coentros, cebolinho, tomilho-limão, erva-príncipe, aneto, etc). Pratos frios, sushi, ceviches, bivalves e moluscos, vinagretes, chutney, bivalves e moluscos, saladas com queijo, com peito de frango, coelho, alguma charcutaria e salsicharia como petiscos, pizzas, torricado com sabores marinados, etc. Peixes de porte “pequeno” de carne branca grelhados ou corados (linguado, dourada, pescada, etc). Nos pratos vegetarianos, pratos de base de quinoa, bulgur, grão de bico, saladas de seitan ou tofu. Pronto ao consumo.

Ajustar a temperatura de serviço para os 10ºC- 10ºC, para fazer valer a fruta e “levantar” o pouco corpo do vinho.

O sommelier Manuel Moreira sugere um vinho semanalmente.

Junta-te à nossa comunidade. Não fazemos spam.

Deixe uma resposta